Semilla oceânica: teatralizando sobre gênero e direitos das crianças no Chile

Dóris Regina Marroni Furini

Resumo


Este texto é um exercício de contar a experiência de trabalho com Teatro do Oprimido em uma ilha no Chile. Em um primeiro momento disponho informações acerca da Ilha Robinson Crusoè, sua população e alguns traços culturais, para compreender onde realizei o trabalho. A seguir, explicito os fundamentos do Teatro do Oprimido, bem como algumas referências sobre gênero e direitos das crianças. Na sequência, relato como ocorreu o processo de construção do grupo e da peça. Ao finalizar procuro refletir porque esta experiência foi tão significativa para nós todos/as.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5965/1414573102172011055


Indexadores


 

 

         

Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas - Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) - Centro de Artes (CEART) - Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas - (PPGT) – E-ISSN: 2358.6958 - Endereço: Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Centro de Artes - Av. Madre Benvenuta, 2007, Itacorubi. Florianópolis. SC, Brasil. CEP: 88.035-001 – E-mail: urdimento.ceart@udesc.br - Tel. 3664.8353

Licença Creative Commons

  Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.