A PRÁXIS TRANS ESTÉTICA: DESENVOLVIMENTO GRÁFICO E O SABER SENSÍVEL EM UM ABRIGO DE MENORES

Cláudio Tarouco de Azevedo, Ana Carolina Sampaio Zdradek, Luciano Soares Lima, Carlos Gesley, Renata Lopes Sopeña, Violeta Isoldi

Resumo


Este estudo parte de uma microintervenção em um Abrigo de menores na cidade do Rio Grande/RS. A proposta prevê uma articulação entre ensino, pesquisa e extensão através de uma oficina de desenho com crianças e jovens, totalizando dez participantes. O objetivo geral foi engendrar uma práxis trans estética e, através desta, promover o desenvolvimento gráfico e o exercício de um saber sensível na prática pedagógica e de pesquisa. A problemática em questão versou sobre como impulsionar uma práxis que possibilite o movimento trans estético e que saberes sensíveis emergem nesse processo? Autores como João Franscisco Duarte Jr. e Cleusa Peralta Castell contribuíram para esta investigação sobre o desenvolvimento gráfico e a Educação Estética. Verificamos que o desenvolvimento gráfico foi desenvolvido no nosso olhar, na nossa prática pedagógica e na experiência estética que pode ser engendrada por meio do ensino de arte. Entendemos que este ensino é capaz de integrar de maneira transdisciplinar modos de ser, estar e aprender na contemporaneidade.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5965/2175234607132015083