Percepção do “DNA” da Marca Hering no Ponto de Venda Físico (Lojas)

Cinthia Ferrari Angeli, Luiz Salomão Ribas Gomez

Resumo


Este artigo visa demonstrar a importância e a necessidade de inserir o “DNA de marca” no projeto de arquitetura de interiores comercial. São raros os materiais teóricos nesta área, que abordam a importância de desenvolver projetos de ambientes comerciais mais ajustados com o “DNA da marca”. “DNA” este que é formado por elementos que combinam e se recombinam para expressar diferentes identidades. O objetivo foi demonstrar através da aplicação de um questionário, quais aspectos da atmosfera do ponto de venda, diante da percepção dos usuários – funcionários e consumidores, apresentavam-se mais condizentes ao “DNA de marca” de duas lojas da Cia Hering. Os apontamentos identificaram de forma geral que os usuários percebem o “DNA da marca” no ambiente e no produto, entretanto alguns elementos específicos da atmosfera do ponto de venda apresentaram ressalvas.

Palavras-chave


DNA de marca, Arquitetura comercial, Visual Merchandising

Texto completo:

PDF

Referências


BAILEY, Sarah; BAKER, Jonathan. Moda e Visual Merchandising. São Paulo: Gustavo Gili, 2014.

BLESSA, Regina. Merchandising no Ponto de Venda. São Paulo: Atlas, 2008.

BAKER, Julie. The role of the Environment in marketing services: The consumer perspective. The services challenge: Integrating for competitive advantage (pp. 79-84) Associação Americana de marketing.

BARDZIL, James R.; ROSENBERGER III, Philip J. Atmosphere: Does It Provide Central Or Peripheral Cues?", in AP - Asia Pacific Advances in Consumer Research. Russel Belk and Ronald Groves, Provo, UT : Association for Consumer Research. V. 2. P.73 – 79, 1996. Disponível em: < http://www.acrwebsite.org/search/view-conference-proceedings.aspx?Id=11536 >. Acesso em 28 fevereiro de 2015.

BITNER, Mary Jo. Servicescape: The Impact of Physical Surroundings on Customers and Employees. Journal of Marketing. v. 56. p. 57-71, 1992.

CARVALHAL, André. A moda imida a vida: como construir uma marca de moda. São Paulo: Estação das Letras; Rio de Janeiro: Editora Senac, 2014.

COBRA, Marcos. Administração de Marketing no Brasil. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

GURGEL, Miriam. Projetando espaços – Guia de Arquitetura de Interiores para espaços comerciais. São Paulo: Editora SENAC, 2005.

GATTO, Stefania del. L´atmosfera del punto vendita quale strumento di differenziazione dell´insegna: uma verifica empírica delgli effeti della variabile olfativa. Anais del Congresso Internazionale Le Tendenze del Marketing.Venezia, 2002.

KOTLER, Philip. Atmospherics as a marketing tool. Journal of Retailing. v. 49, p.48-64, 1973-1974

LOPES, Dayane Alves; GOMEZ, Luiz Salomão Ribas. Os 4 elementos do DNA de marcas: emoção, resiliência, técnica e mercadologia. CONFERÊNCIA INTERNACIONAL EM DESIGN E ARTES GRÁFICAS – CIDAG, 2, 2012, Lisboa. Anais. Lisboa: ISEC, 2012

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social: Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva, 17(3):621-626, 2012.

MICHAELIS. Dicionário Online. 2016. Disponível em: . Acesso em: 16 outubro 2016.

MORGAN, Tony. Visual Merchandising: Vitrines e interiores comerciais. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2011.

NEILSON, Gary L.; PASTERNACK, Bruce A. Resultados: mantenha o que está certo, corrija o que está errado e obtenha um ótimo desempenho. Rio de Janeiro: Rocco, 2009.

RIES, All ; TROUT, Jack. Posicionamento: a batalha por sua mente. São Paulo: M. Books do Brasil Ltda, 2009

SOLOMON, Michael R. O comportamento do consumidor: comprando, possuindo e sendo. 9 ed. Porto Alegre: Bookman, 2011

STODIECK, Walter Flores. Brand DNA TOOLKIT: Aplicação do Design em uma metodologia de branding. 2014. Dissertação (Mestrado em Design e Expressão Gráfica) – Programa de Pós Graduação em Design e Expressão Gráfica. Universidade Federal de Santa Cataria. Florianópolis: 2014.

ZORRILLA, Pilar. Nuevas tendencias en merchandising: Generar experiencias para conquistar emociones y fidelizar clientes. Distribuición y Consumo, set-out, 2002, p. 13-20.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/1982615x10202017048

Direitos autorais Cinthia Ferrari Angeli, Luiz Salomão Ribas Gomez

Licença Creative Commons

      http://www.revistas.udesc.br/public/site/images/rocha1/ceart1.png