Moda e Subjetividade:corpo, roupa e aparência em tempos ligeiros

Maria Dolores de Brito Mota

Resumo


Os processos sociais contemporâneos acentuam a complexidade das condições de constituição e as concepções das identidades individuais e coletivas, fazendo proliferar situações, experiências, estímulos ilimitados com ritmos acelerados. O sujeito que emerge desses processos é marcado de possibilidades, mutante e gestor de diferentes identidades. A moda do vestuário é um dos componentes das condições sociais de subjetivação e construção identitária estabelecendo uma rede de relações com esses sujeitos de possibilidades. A roupa e o corpo, compõem subjetividades, criando e exprimindo imagens e formas que correspondem às identificações e diferenciações donde emergem as identidades. A instantaneidade dessas mudanças não permite que identidades antigas se desfaçam coexistindo com novas. A moda impõe padrões e ao mesmo tempo permite a distinção entre pessoas e grupos sociais e desse modo favorece a recriação permanente dos sujeitos sempre em devir. A diversidade de estilos não elimina a diferenciação das marcas.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais Maria Dolores de Brito Mota

Licença Creative Commons

      http://www.revistas.udesc.br/public/site/images/rocha1/ceart1.png