Moda, arte e sociedade: O pioneirismo da maison Canadá-de-Luxe e a emergência da indústria fashion nacional nos anos 1950

Claudia Oliveira

Resumo


Hoje, a moda brasileira ganhou destaque e reconhecimento internacional por seu estilo especial de criar roupas e lançar tendências: movimento que procura unir a diversidade cultural única do Brasil ao que há de mais contemporâneo e global em design de moda em todo o mundo. Contudo, o sistema de moda atual tem uma história, e podemos dizer que seu ponto de partida remonta à década de 1950 e foi parte de grande engrenagem que articulou vários setores industriais, segmentos sociais e políticos dentro e fora do campo da moda. É dentro desta grande engrenagem que podemos posicionar a Canadá-de-Luxe e as criações de d. Mena Fiala. D. Mena jamais se propôs a criar uma moda de vanguarda brasileira, mas foi incansável na consolidação de uma moda nacional sintonizada com o que se produzia fora, especialmente, na Paris do Pós Guerra. Armada de técnica elaborada, que ela própria inventou, não parou de desenvolvê-la e aperfeiçoá-la sem abandonar os cânones que constituem o estilo: rigor, esforço, persistência e beleza. A casa Canadá é referência quando se fala em moda no Brasil nos anos 1950, e isso se deve ao esforço incansável de Mena Fiala e Cândida Gluzman em transformar a marca Canadá em referência de beleza e elegância.
Palavras-chave: moda, vanguarda, elegância.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais Claudia Oliveira

Licença Creative Commons

      http://www.revistas.udesc.br/public/site/images/rocha1/ceart1.png