A escola brasileira representada em duas obras ficcionais no final do século XIX e início do século XX

Francisco Ari Andrade

Resumo


A nossa experiência escolar passa por algumas “imagens literárias” presentes em narrativas de ficção produzidas na passagem do século XIX ao século XX. A educação, na história do Brasil, está representada em dois momentos: a primeira, a experiência escolar vivida por um personagem numa cidade rural do Maranhão e depois na capital da Corte, na segunda metade do século XIX. A segunda, uma sátira social apresentada numa crônica sobre as unidades de ensino na cidade do Rio de Janeiro, na primeira fase da nossa república. Para o desenvolvimento deste estudo foram usadas como opções de fontes duas obras da literatura nacional: o romance Casa de Pensão, do escritor maranhense Aluísio Azevedo (1857-1913), publicado na década de 1880 e a coletânea Os Bruzundangas, do escritor carioca Lima Barreto (1881-1922), publicada na década de 1920. Em qual direção caminhava a educação escolar brasileira no final do século XIX e início do século XX? Naquele contexto, o debate sobre o papel social da educação, partindo das matrizes do pensamento europeu e norte-americano, pulverizava o ideário intelectual brasileiro. A análise de tais textos permitiu a extração de representações sobre cada experiência escolar. A relevância deste estudo está em apresentar o lugar da escola, conforme as narrativas, no projeto de sociedade brasileira que se pretendia republicana.

Palavras-chave: Educação – História – Brasil; Escolas – Brasil; Casa De Pensão; Coletânea Os Bruzundangas.


Texto completo:

PDF


Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi
Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001
(48) (48) 3664-8585
revistalinhas@gmail.com