Enfrentando o racismo na França e no Brasil: da condenação moral ao auxílio às vítimas

Alexandra Poli

Resumo


A ideia de democracia racial no Brasil e o modelo republicano na França constituem o pano de fundo dos movimentos de composição e de decomposição da questão do racismo praticado nesses dois países. Essa formas consagradas não estão desligadas da maneira como o racismo é representado, assim como da elaboração de imperativos voltados ao seu combate. A reflexão cruzada sobre a evolução das formas de reconhecimento do racismo no Brasil e na França, proposta por este artigo, permite sobretudo revisitar concepções jurídicas, políticas, sociais, assim como a vivência pessoal a elas vinculadas em diferentes períodos. Dos dois lados do Atlântico, os modos de compreensão do racismo têm há muito tempo feito pesar uma espécie de determinismo sobre as vítimas, mantendo-as em parte à distância do problema.

Palavras-chave: Racismo; Vítimas; Vitimização.

Texto completo:

PDF


Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi
Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001
(48) (48) 3664-8585
revistalinhas@gmail.com