Questão racial, ações afirmativas e currículo: uma discussão em torno das diretrizes para a educação das relações étnico-raciais

Gustavo da Silva Kern

Resumo


Este artigo tem por propósito problematizar algumas implicações educacionais das atuais políticas públicas de ação afirmativa, desenvolvidas pelo Governo Federal desde meados da década de 1990. Interessa abordar as especificidades das ações afirmativas que intervêm sobre o recorte étnico-racial da população brasileira, tomando por objeto central de análise a dimensão curricular de suas implicações educacionais. A institucionalização dessas políticas públicas é fator de grande relevância para o processo histórico que conduziu ao fenômeno contemporâneo, aqui definido como a politização da questão racial brasileira. Partindo das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais, busco compreender certas interlocuções entre suas proposições e o caráter eminentemente político que a raça e as relações raciais assumiram em nosso País durante as últimas décadas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5965/1984723815282014324

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi
Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001
(48) (48) 3664-8585
revistalinhas@gmail.com