A contestação e a resistência da criança do Abrigo Provisório para Menores Abandonados de Santa Felicidade (Curitiba, 1947-1953) DOI: 10.5965/198472381426201361

Joseane de Fátima Machado Silva

Resumo


O presente texto identifica e analisa a contestação e a resistência da criança, em situação de pobreza e abandono, que se encontrava no Abrigo Provisório para Menores Abandonados de Santa Felicidade, no período de 1947 a 1953, na cidade de Curitiba. Deste modo, aproxima-se de fragmentos de vida das crianças que nessa instituição construiriam parte de suas trajetórias de vida. A problemática da abordagem reside em inquirir a História e a Historiografia através da indagação: que mecanismos de contestação e resistência podem ser identificados nas atitudes das crianças em situação de pobreza e abandono frente aos encaminhamentos da instituição? A análise das fontes pela perspectiva da História Sociocultural permite considerar que o principal mecanismo de contestação por parte da criança se manifestava no ato de forjar sua própria identidade; e como principal mecanismo de resistência, a atitude de fugir da instituição. Diante da atitude de forjar sua própria identidade e fugir, geralmente levando outras crianças consigo, a criança emerge como sujeito de sua própria história.

Texto completo:

PDF


Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi
Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001
(48) (48) 3664-8585
revistalinhas@gmail.com