O uso do vestuário infantil como elemento de estímulo para o desenvolvimento tátil de crianças com deficiência visual: o papel dos pais e educadores

Juliana Bononi, Cássia Letícia Carrara Domiciano

Resumo


O presente artigo traz um relato de pesquisa que faz parte da dissertação de mestrado desenvolvida entre 2014 e 2016, e apresenta uma investigação com o objetivo de descobrir como o estimulo tátil de crianças com deficiência visual está sendo trabalhando por meio do vestuário. Partimos de uma pesquisa de campo exploratória, descritiva e qualitativa, onde foi aplicado questionário com os Pais e com os Professores das crianças que estudam em associação para pessoas com deficiência visual de Ribeirão Preto, interior do estado de São Paulo. Constatamos que os Pais abordados acreditam no potencial das roupas como estimuladoras da experiência tátil e da independência em vestir-se e despir-se dos filhos com deficiência, mas não priorizam a presença de elementos táteis, assim como as Educadoras inqueridas afirmaram que o vestuário pode ser pedagógico, mas que não exploram e nem auxiliam os Pais a utilizar esse recurso. Podemos concluir que os mesmos desperdiçam as potencialidades do vestuário como educativo, por esse motivo não estimulam as crianças. Portanto há necessidade de orientá-los sobre a capacidade das experiências e aprendizagens embutidas nos elementos desse objeto tão cotidiano.


Texto completo:

PDF

Referências


AMIRALIAN, M. L. T. M. Sou cego ou enxergo? As questões da baixa visão. Educar, Curitiba, n. 23, p. 15-28, 2004.

ASSOCIAÇÃO dos Deficientes Visuais de Ribeirão Preto e Região. Adevirp. Disponível em:< http://www.adevirp.com.br/>. Acessado em: 16 jun. 2015.

BEZERRA, M.F. de C.G.F. Brincando com a roupa: um estudo sobre o público infantil e a compreensão das roupas que atuam como brinquedo. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal de Pernambuco. CAC. Design. 2009. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3208

BONONI, Juliana; CARVALHO, J. A.; DOMICIANO, Cássia Letícia Carrara; PINHEIRO, Olympio José; PASCHOARELLI, Luis Carlos; MEDOLA, Fausto Orsi. Aspectos Inclusivos do Design de Moda para Crianças com Cegueira. In Blucher Proceedings disponível em: http://www.proceedings.blucher.com.br/article-details/aspctos-inclusivos-do-design-de-moda-para-crianas-com-cegueira-19049 Acessado em: 26/08/2015

BRITO, I.J.G. de; JARDIM, M.D.P.; CARDOSO, A.M.; MING, W. C. O design de moda como inclusão social de portadores de deficiência visual. In Revista Eletrônica de Educação e Tecnologia do SENAI-SP. v.4, n.9, 2010. Acessado em 10/11/2014.

BRUNO, Marilda Moraes Garcia; MOTA, Maria Glória Batista da; INSTITUTO Benjamin Constant (colab.). Programa de Capacitação de Recursos Humanos do Ensino Fundamental: deficiência visual Vol. 1 -Fascículos I/II/III. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2001. (Série Atualidades Pedagógicas; 6).

DARDES, M. de C.M. de C.M. Deficiente visual: uma educação inclusiva ou exclusiva? In Revista Pandora Brasil. n. 24, 2010.

FERRONI, M.C.C.; GASPARETTO, M.E.R.F. Escolares com baixa visão: percepção sobre as dificuldades visuais, opinião sobre as relações com comunidade escolar e o uso de recursos de tecnologia assistiva nas atividades cotidianas. Rev. bras. educ. espec. Marília, v.18, n. 2, jun. 2012. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413- 65382012000200009&lng=pt&nrm Acessado em 14/12/2014.

KAMISAKI, M. S. O Design de brinquedos voltado para as crianças com deficiência visual. 2011. 155 f. Dissertação (Mestrado em Design) – Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2011. Disponível em:. Acessado em: 08 jan. 2015.

MARTINS, S. B. O Conforto no vestuário: uma questão de ergonomia Metodologia de avaliação de usabilidade e conforto no vestuário. 2005. 150 f. Tese (Doutorado) Centro Tecnológico, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em: . Acessado em: 05 jun. de 2015.

OLIVEIRA, F.I.W.de. BIZ, V.A. FREIRE, M. Processo de inclusão de alunos deficientes visuais na rede regular de ensino: confecção e utilização de recursos didáticos adaptados. Disponível em: https://scholar.google.com.br/scholar?bav=on.2,or.r_cp.r_qf.&bvm=bv.82001339,d.eXY&biw=1366&bih=667&dpr=1&um=1&ie=UTF-8&lr&q=related:tAXhb5pGuMB27M:scholar.google.com/ acessado em 20/12/2014

OLIVEIRA, J. V. G. Arte e visualidade: A questão da cegueira. Revista Benjamin Constant,1998, 4(10), 7-10.

PEREIRA, M.L.D. Design inclusivo: um estudo de caso: tocar para ver: brinquedos para crianças cegas ou de baixa visão. Dissertação de Mestrado em Design e Marketing-opção têxtil. Universidade do Minho, 2009.

PEREIRA, L.M. Possibilidades de aprendizagem no vestuário infantil: um estudo exploratório. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, Bauru, 2011. Disponível em: . Acessado em: 12 dez. 2014.

SOUZA, Carolina Molina Lucenti de; BATISTA, Cecilia Guarnieri. Interação entre crianças com necessidades especiais em contexto lúdico: possibilidades de desenvolvimento. Psicol. Reflex. Crit., Porto Alegre, v. 21, n. 3, p. 383-391, 2008. Disponível em: . Acessado em: 20 dez. 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/25944630222018153

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Juliana Bononi, Cássia Letícia Carrara Domiciano

Indexadores, diretórios e bases de dados

      

Endereço: Lab. Moda e Sociedade - sala 51 | Av. Madre Benvenuta, 1907 - Itacorubi - Florianópolis - SC - CEP: 88035-001. 

Email: modaesociedade@gmail.com

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Esta revista é um projeto interinstitucional entre os programas de pós graduação em artes, design e consumo da PPGAV/UDESC, ICA/UFC, PPGD/UFPE e PGCDS/UFRPE, com apoio da Diretoria de Ensino da Abepem.