A Concepção da Forma no Processo Projetual de Design: uma ação pedagógica coletiva

Patrícia de Mello Souza, Maria Antônia Romão da Silva

Resumo


O artigo aborda uma ação pedagógica coletiva que integra três unidades curriculares – Metodologia do Projeto, Composição e Laboratório da Forma – cuja vivência promove a integração de processos de criação em expressões bi e tridimensionais, facilitados pela aplicação de ferramentas projetuais. A ação realiza-se em contextos específicos de aprendizagem direcionados a promover a autorregulação por meio do uso de estratégias, uma vez que esta, quando aliada ao pensamento criativo, é capaz de suscitar a prática reflexiva, a habilidade de gestão e a tomada de decisões ao longo do ato projetivo. A proposta interdisciplinar desenvolve-se em meio ao projeto da  cobertura vestível para o corpo, composta por módulos planos ressignificados pela tridimensionalidade, tendo como referência o estudo morfológico e estrutural da laranja. Na prática pedagógica, norteada para promover a postura ativa dos discentes, a experimentação constitui-se no instrumento condutor do processo, de modo a favorecer a percepção, a construção e desconstrução da forma e a investigação das possibilidades compositivas de estruturas e mecanismos. Ao término da atividade, os alunos avaliam individualmente o próprio processo projetual, refletindo sobre o planejamento e a totalidade dos procedimentos adotados. Comprova-se que o envolvimento e o comprometimento dos sujeitos no processo de aprendizagem colaboram para a promoção da autorregulação, a qual conduz o aprendiz ao verdadeiro ato de aprender a aprender, efetivando-se a construção autônoma do conhecimento. Ademais, atesta-se a potencialidade da inovação na geração de soluções de produtos a partir da transformação do plano.


Texto completo:

PDF

Referências


AGKATHIDIS, Asterios. Analog digital design processes. In: AGKATHIDIS, Asterios; SCHILLIG, Gabi. (Ed.). Performative geometries: transforming textile techniques. Amsterdam: BIS, 2010. p. 146-151.

ALENCAR, Eunice Soriano de; FLEITH, Denise de Souza. Criatividade: múltiplas perspectivas. Brasília: UnB, 2009.

AMARAL, Ana Luiza Snoeck Neiva de; MARTÍNEZ, Albertina Mitjáns. Aprendizagem criativa no Ensino Superior: a significação da dimensão subjetiva. In. MARTÍNEZ, Albertina Mitjáns; TACCA, Maria Carmen Villela Rosa. A complexidade da aprendizagem: destaque ao Ensino Superior, Campinas, Sp: Alínea, 2009. p. 149-192.

ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Da visão de ciência à organização curricular. In: ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos; ALVES, Leonir Pessate. (Orgs.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinvile: UNIVILLE, 2012. p.45-73.

BAXTER, Mike. Projeto de produto: guia prático para o design de novos produtos. 3. ed. São Paulo:Blucher, 2011.

BORUCHOVITCH, Evely; COSTA, Elis Regina; NEVES, Edna Rosa Correia. Estratégias de aprendizagem: Contribuições para a formação de professores nos cursos superiores. In JOLLY, Maria Cristina Rodrigues Azevedo; SANTOS, Acácia Aparecida Angeli dos; SISTO, Fermino Fernandes. (Org.), Questões do cotidiano universitário. São Paulo, SP: Casa do Psicólogo, 2005. p. 239-260.

CELASCHI, Flaviano.; MORAES, Dijon de. Futuro, Bem-Estar, Interdependência: Palavras-Chave para o Design Contemporâneo. In: MORAES, Dijon de. ELASCHI, Flaviano. (Org.). Caderno de estudos avançados em design: design e humanismo. v. 7. Barbacena: EdUEMG, 2013. p. 35-60.

DONDIS, Donis a. Sintaxe da linguagem visual. 3.ed, São Paulo, Sp: Martins fontes, 2015.

GOMES FILHO, João. Gestalt do objeto: sistema de leitura visual da forma. 7. ed. São Paulo: Escrituras Editora, 2004.

HOSSEINI, Afzal Sadat. University student's evaluation of creative education in universities and their impact on their learning. Procedia-social and behavioral sciences, v. 15, p. 1806-1812, 2011.

JACKSON, Norman et al. (Ed.). Developing creativity in higher education: an imaginative curriculum. New York: Routledge, 2006.

KHAIDZIR, Khairul Anwar Mohamed; LAWSON, Bryan. The cognitive construct of design conversation. Research in engineering design, v. 24, n. 4, p. 331-347, 2013.

LAWSON, Bryan. Como arquitetos e designers pensam. São Paulo: Oficina de Textos, 2011.

MUNARI, Bruno. Good design. Mantova : Corraini Editore, 2000.

MCCLUSKEY, Ken W. Thoughts about tone, educational leadership, and building creative climates in our schools. 2.ed. Ulm, Germany: International Centre for Innovation in Education, 2013.

MORAES, Dijon de. Metaprojeto: o design do design. São Paulo: Blucher, 2010.

RENZULLI, Joseph. Neglecting creativity. Education week, v. 24, n. 4, p. 431- 40, 2005.

RIBEIRO, Iolanda da Silva; SILVA, Carla Ferreira da. Auto-Regulação: diferenças em função do ano e área em alunos universitários. Psicologia: teoria e pesquisa, v. 23, n. 4, p. 443-448, out. 2007.

SAMPAIO, Rita Karina Nobre; POLYDORO, Soely Aparecida Jorge; ROSÁRIO, Pedro Sales Luís de Fonseca. Autorregulação da aprendizagem e a procrastinação acadêmica em estudantes universitários. Cadernos de educação, Pelotas, n. p. 119 – 142, mai. 2012

SALTZMAN, Andrea. El cuerpo diseñado: sobre la forma en el proyecto de la vestimenta. Buenos Aires: Paidós, 2004.

SANCHES, Maria Celeste de Fátima. Projetando Moda: diretrizes para a concepção de produtos. In: PIRES, D. (Org.) Design de moda: olhares diversos. Barueri, SP: Estação das Letras e Cores Editora, 2008. p. 289 – 301.

______. Projetando o intangível: as ferramentais da linguagem visual no design de moda. In: MARTINS, R. F. F; LINDEN, J. C. S. (Org.). Pelos caminhos do design: metodologia de projeto. Londrina: EDUEL, 2012. p. 2395-416.

VYZOVITI, Sophia. Methodological shifts: the textile as retro-novel paradigm. In: AGKATHIDIS, Asterios; SCHILLIG, Gabi (Ed.). Performative geometries: transforming textile techniques. Amsterdam: BIS, 2010. p. 108-113.

ZIMMERMAN, Barry J. Development of self-regulated learning: Which are the key subprocesses. Contemporary educational psychology, v.11, n.4, p.307-313, 1986.

______ A social cognitive view of self-regulated academic learning. Journal of educational psychology, v. 81, n. 3, p. 329-339, 1989.

______ Self-efficacy: An essential motive to learn. Contemporary educational psychology, v. 25, n. 1, p. 82-91, 2000.

______ Theories os self-regulated learning and academic achievement:An overview and analysis. In: ZIMMERMAN, B.; SCHUNK, D. Self-regulatedlearning and academic achievement: theorical, perspectives. 2ª ed. 2001, p.1-37.

______ Becoming a self-regulated learner: An overview. Theory into practice, v. 41, n. 2, p. 64-70, 2002.

______ From cognitive modeling to self-regulation: a social cognitive career path. Educational psychologist, v.48, n.3, p.135-147, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/25944630212018116

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Patrícia de Mello Souza, Maria Antônia Romão da Silva

Indexadores, diretórios e bases de dados

      

Endereço: Lab. Moda e Sociedade - sala 51 | Av. Madre Benvenuta, 1907 - Itacorubi - Florianópolis - SC - CEP: 88035-001. 

Email: modaesociedade@gmail.com

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Esta revista é um projeto interinstitucional entre os programas de pós graduação em artes, design e consumo da PPGAV/UDESC, ICA/UFC, PPGD/UFPE e PGCDS/UFRPE, com apoio da Diretoria de Ensino da Abepem.